sexta-feira, 22 de julho de 2011

INCREDULIDADE - Lc 16, 19-31-por Amilton M. Monteiro

Havia um homem rico que só se vestia
de púrpura e linho; e se banqueteava
com intensa glutonia, todo santo dia,
enquanto em seu portão um pobre se prostrava
a mendigar, na busca de matar a fome,
com um pouco de migalha que ao rico sobrava.

 Mas ao chagado Lázaro (era o seu nome),
o rico nem ligava ou dava o que comer.
E, enquanto na miséria o pobre se consome,
somente os cães, as chagas vinham-lhe lamber.
Aconteceu que um dia aos seios de Abraão
foi conduzido o pobre, logo ao falecer. 

Tempos depois quem morre é o rico. E, sem perdão
foi para o inferno. E lá, das aflições no meio,
ao levantar seus olhos tem uma visão:
ao longe, vê Abraão com Lázaro em seu seio.
Então, gritando diz: “Abraão, meu pai querido,
tem compaixão de mim que este tormento odeio!

Oh!, por favor, te imploro, atende o meu pedido
e, sem demora, manda Lázaro molhar
a ponta do seu dedo n´água, e assim embebido,
me traga, para a língua um pouco eu refrescar,
pois nesta chama estou penando, atormentado!”.
Abraão, porém lhe diz, fazendo-o recordar.

“Lembra-te, filho meu, que em vida te foi dado
colher só bens, enquanto Lázaro só males.
Agora é dele a vez de ser bem consolado;
E tu atormentado. Além do que, esses vales,
descomunais abismos que entre vós e nós
se firmam, doravante exigem que te cales, 
 pois quem quiser passar daqui pr´onde estais vós
não pode. E nem sequer os que aí estão
podem até nós chegar”. E diante o fato atroz
o rico retrucou: “por comiseração
te peço que o envies, pai, ao meu paterno
lar, onde estão meus cinco irmãos!. E de antemão
alerte-os pra evitar de vir para este inferno!”

No entanto, Abrão responde: Eles já têm Moisés
e os Profetas meus. Que tenham ouvido terno
ao que eles dizem”. Mas o rico ao invés
de se calar, retruca. “Não, Abraão, meu pai,
pressinto que somente sendo através de alguém que for dos mortos ter com eles, vai fazer que meus irmãos pratiquem penitência”.

Daí a voz de Abraão, concluindo, sobressai:
“S´eles não dão ouvidos (ah! Que negligência!),
ao que todos os Profetas estão a proclamar,
tampouco valerá de um morto a advertência,
nem se ressuscitar irão acreditar”!


Amilton M. Monteiro

Publicando originalmente no dia Sábado , 14 de Março de 2009-
no blog ATITUDE CRISTÃ-       http://caminho.perfeito.zip.net


Postar um comentário