segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Sociedade condenada...


“Quando notar que para produzir precisa de autorização daqueles que não produzem nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem não comercializa bens, mas apenas favores; quando perceber que muitos se tornam ricos através de suborno e por influência mais do que por trabalho, e que as leis não o protegem contra eles, antes pelo contrário, são eles que estão protegidos contra você; quando reparar que a corrupção é recompensada e a honradez se converte em um auto-sacrifício, então poderá afirmar, sem medo de equivocar-se, que sua sociedade está condenada.” Clique e pesquise: Ayn Rand

*******


"Esse pensamento de Ayn Rand me parece familiar, na minha reflexão retrata a sociedade brasileira.
Quanta luta é deflagrada por quem quer fazer cumprir as leis, mas da sociedade em que vive e da justiça não obtém respostas, fica sozinho, é considerado um criador de casos e não um cidadão...
Quanta luta é deflagrada quando a honestidade e honradez combatem a corrupção e o resultado é o seu esfacelamento, e os combatentes vencidos se arrastam estendendo a mão e não encontra um ponto sequer para reerguer-se.
Todos desviam seus olhares ou trocam de calçada para não cruzar com quem sonhou e ousou em lutar contra os que vampirizam a si a todos.
Se não mudar nossos caminhos a filósofa e escritora Ayn Rand falou do Brasil. " Rivaldo R.Ribeiro

Site: http://aynrand.com.br/







2 comentários:

Blog do Morani disse...

Caro amio e irmão:

Essa senhora Ayn Rand conhece o Brasil muito mais que muitos brasileiros nascidos nessas plagas.
O que ele diz se casa à situação atual do nosso Brasil.
Foi isso que aconteceu aos deputados na grande efeméride do maior escândalo político jamais visto neste país onde o seu presidente, para ver aprovadas as matérias enviadas para debates, votação e vitória unânime, comprou a consciência barata dos parlamentares. Assim, saberemos, para futuro, quanto vale a consciencia - ou nada valerá - desses senhores de paletó e gravata paga pelos contribuintes em uma vergonhosa "verba paletó" porque o dinheiro que ganham não dá nem para um cafezinho. Parabéns à Ayn Rand. Abraços e meus pesâmes pela vitória desse padre duplamente corrupto.

Anônimo disse...

Ayn Rand escreveu isso, provavelmente, na década de 1950. Senão me engano, faz parte de uma de suas mais célebres composições, a novela "A Revolta de Atlas". Nesse livro ela expõe muito bem suas filosofias de objetivismo e individualismo, fazendo também uma crítica severa ao Estado, mostrando sua manipulação sobre o povo. As ideologias de Rand nesse livro são um tanto complexas, envolvendo todo um conjunto de leis éticas, morais e de caráter dos indivíduos. Para as personagens protagonistas o racionalismo e a competência são elementos básicos; eles defendem que, para se atingir um objetivo, verdadeiramente, deve-se lutar dignamente por isso, com um adversário a altura, mas jamais utilizando-se de subterfúgios ou trapaças. Nesse mesmo livro, ante a manipulação repugnante do Estado, os empresários e Artistas mais importantes para o Estado simplesmente deixam de trabalhar, somem. Com isso, o Estado entra em caos - afinal, não tem mais como se aproveitar dos lucros das empresas, ainda que tentem mantê-las, não possuem a aptidão daqueles que simplesmente sumiram.