quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM DIA!

Juan trabalhava numa fábrica de distribuição de carne. Um dia, quando terminou o seu horário de trabalho, foi a um dos frigoríficos para inspecionar algo, mas num momento de azar a porta fechou-se e ele ficou trancado lá dentro.

Ainda que tenha gritado e batido na porta com todas as suas forças, jamais poderiam ouvi-lo. A maioria dos trabalhadores já haviam ido embora e no exterior da arca frigorífica era impossível ouvir o que estava acontecendo lá dentro.

Cinco horas mais tarde, quando Juan já estava à beira da morte, alguém abriu a porta. Era o segurança da fábrica, que salvou a vida de JA IMPORTÂNCIA DE UM BOM DIA! uan.

Juan perguntou ao segurança como foi possível ele passar e abrir a porta se isso não fazia parte da sua rotina de trabalho e ele explicou:

“Eu trabalho nesta fábrica há 35 anos, centenas de trabalhadores entram e saem a cada dia, mas você é um dos poucos que me cumprimenta pela manhã e se despede de mim à noite. Muitos me tratam como se eu fosse invisível. Hoje, como todos os dias, você me disse seu simples " olá " na entrada, mas hoje curiosamente não tinha ouvido o seu " até amanhã ". Espero o seu " olá " e " até amanhã " todos os dias. Para você eu sou alguém. Ao não ouvir a sua despedida, eu sabia que algo tinha acontecido… Procurei e encontrei!”

Fica esta reflexão: sejam humildes e amem o próximo. A vida é curta demais e temos um impacto que não conseguimos sequer imaginar sobre as pessoas com as quais cruzamos todos os dias.

A origem da história é desconhecida, mas o ensinamento deve aquecer a todos os corações.


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

The High And The Mighty - Roger Williams



wanted some background primarily for the song ; hence the "Hollywood divas". This theme song, "the High and The Mighty" from the movie of the same name (1954) is a fond remembrance of big-name movie actors (i.e. John Wayne, Robert Stack, etc.) in one of the air disaster movies of all times. Big stars, big movie, big drama. The theme song brings it all back. And the divas? Well, they seem to go with that era.


sábado, 31 de maio de 2014

Vicente Celestino - O Ébrio





No dia 23 de agosto de 1968, quando se preparava para gravar um programa de televisão, onde seria homenageado pelo Movimento Tropicalista, passou mal no quarto do Hotel Normandie, em São Paulo, falecendo do coração minutos depois.
Seu corpo foi transferido para o Rio de Janeiro, onde foi velado por uma multidão na Câmara dos Vereadores e sepultado sob palmas do público.

Texto fonte Wikipédia.



quinta-feira, 1 de maio de 2014

Será que um dia vamos viver num mundo sem rótulos?

Vivemos numa sociedade que nos rotula conforme nossos comportamentos, condição social, se somos gordos ou magros,se diz o que pensa ou luta pelos direitos é criador de casos, somos conhecidos geralmente por algum rótulo que possivelmente não temos conhecimentos: Como aquele careca, manco, e por ai vai...

Será que um dia vamos viver num mundo sem rótulos?

Só quando transformarmos em apenas espíritos.
Enquanto seres de carne e osso, nunca será possível, talvez seja isso que nos mostre como somos falhos, mais lindos como as estrelas do céu, umas brilham mais outras menos e isso transforma as noites em sinônimos de poesias...
Tal como uma árvore velha e torta, mas é ela a escolhida pelos pintores e pelos fotógrafos.
As pinturas perfeitas, não são pinturas, são fotografias.
.
Enfim está nos defeitos a beleza real do mundo que estamos dilapidando, se vamos conseguir? Não sei...
Creio que seja impossível, caso acontecesse não haveria mais necessidade de estarmos por aqui...
Rivaldo R.Ribeiro

sexta-feira, 7 de março de 2014

Falsos amigos.


A tristeza bate fundo no coração, quando se recorre a um suposto amigo(a) e não é ouvido, nesses casos é melhor valer-se da oração.
O Mestre nos ensinou sobre isso... 

Rivaldo R.Ribeiro

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O Paradoxo Do Nosso Tempo

Autor: Desconhecido
O paradoxo de nosso tempo na história é que temos edifícios mais altos, mas pavios mais curtos;
auto-estradas mais largas, mas pontos de vista mais estreitos; gastamos mais, mas temos menos;nós compramos mais, mas desfrutamos menos.
.
Temos casas maiores e famílias menores; mais conveniências, mas menos tempo;temos mais graus acadêmicos, mas menos senso;mais conhecimento e menos poder de julgamento;mais proficiência, porém mais problemas;mais medicina, mas menos saúde.
.
Bebemos demais, fumamos demais, gastamos de forma perdulária, rimos de menos, dirigimos rápido demais, nos irritamos muito facilmente, ficamos acordados até tarde, acordamos cansados demais, raramente paramos para ler um livro, ficamos tempo demais diante da TV e raramente oramos.
.
Multiplicamos nossas posses, mas reduzimos nossos valores.
Falamos demais, amamos raramente e odiamos com muita freqüência.
Aprendemos como ganhar a vida, mas não vivemos essa vida.
.
Adicionamos anos à extensão de nossas vidas, mas não vida à extensão de nossos anos.
Já fomos à Lua e dela voltamos, mas temos dificuldade em atravessar a rua e nos encontrarmos com nosso novo vizinho.
.
Conquistamos o espaço exterior, mas não nosso espaço interior.
Fizemos coisas maiores, mas não coisas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma.
Dividimos o átomo, mas não nossos preconceitos.
Escrevemos mais, mas aprendemos menos.
Planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a correr contra o tempo, mas não a esperar com paciência.
.
Temos maiores rendimentos, mas menor padrão moral.
Temos mais comida, mas menos apaziguamento.
Construímos mais computadores para armazenar mais informações para produzir mais cópias do que nunca, mas temos menos comunicação.
Tivemos avanços na quantidade, mas não em qualidade.
Estes são tempos de refeições rápidas e digestão lenta; de homens altos e caráter baixo; lucros expressivos, mas relacionamentos rasos.
.
Estes são tempos em que se almeja paz mundial, mas perdura a guerra no lares; temos mais lazer, mas menos diversão; maior variedade de tipos de comida, mas menos nutrição.
.
São dias de duas fontes de renda, mas de mais divórcios; de residências mais belas, mas lares quebrados.
São dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moralidade também descartável, "ficadas" de uma só noite, corpos acima do peso, e pílulas que fazem de tudo: alegrar, aquietar, matar.
.
É um tempo em que há muito na vitrine e nada no estoque; um tempo em que a tecnologia pode levar-lhe estas palavras e você pode escolher entre fazer alguma diferença, ou simplesmente apertar a tecla Delete.
.
Obs. Texto da internet se alguém conhecer o autor favor me avisar via comentários para o devido crédito ou se for o caso retira-lo do blog.




segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

TEMPO, POR QUE NÃO ME DÁ MAIS UM POUCO DE TEMPO.

Queria eu ser dono do tempo, mas não, ele é cruel, nos escraviza, nos limita...
Queria eu escrever mais, sonhar mais, apreciar mais o mundo,
Mas o tempo é cruel...
Dias vão rápido como um sonho ou pesadelo, sei lá...

Tempo por que não me dá mais um pouco mais de tempo?
Acho que preciso de duas vidas para realizar tudo que imagino...
Mas o Tempo é cruel ele não permite, e os sonhos se diluem a cada segundo...

Toda manhã olhamos para o dia...Toda tarde procuramos o sol, e ele está indo mais uma vez...

A vida se despede!!!... Envelhecidos numa cadeira adormecemos no cochilo da tarde...

Rivaldo R.Ribeiro.

domingo, 5 de janeiro de 2014

A Rosa e o Sapo





Era uma vez uma rosa muito bonita, a mais linda do jardim. Mas começou a perceber que as pessoas somente a observavam de longe. Acabou se dando conta de que, ao seu lado, sempre havia um sapo e por essa razão ninguém se aproximava.
Irritada com a descoberta, ordenou ao sapo que fosse embora.
O sapo, humildemente, disse:
- Está bem, se é o que deseja.
Algum tempo depois o sapo passou por onde estava a rosa, e se surpreendeu ao vê-la acabada, sem folhas nem pétalas.
Penalizado, disse:
- Que coisa horrível, o que aconteceu com você?
A rosa respondeu:
- As formigas começaram a me atacar dia após dia, e agora nunca voltarei a ser bela como era antes.
O sapo respondeu:
- Quando eu estava por aqui, comia todas as formigas que se aproximavam de ti. Por isso é que eras a rosa mais bonita do jardim.

Muitas pessoas desvalorizam os outros por acharem que são superiores, mais bonitas ou mais ricas. Deus não fez ninguém para "sobrar" neste mundo. Ninguém deve desvalorizar ninguém. Na escola da vida, todos têm algo a aprender ou a ensinar.

Compartilhei esta conhecida fábula para que possamos extrair dela um precioso aprendizado.

Paz e Alegria,
Carlos Hilsdorf (Fonte: FaceBook)