quarta-feira, 22 de abril de 2015

Obrigado Mãe. por Kleber Ribeiro

Todas as palavras escritas aqui seriam poucas para descrever o que é uma MÃE.
Quando me refiro a MÃE estou falando dessa “coisa” que muitas mulheres se transformam quando geram uma criança. É inexplicável. Como em um único corpo pode conter a doçura celestial revelada com os mimos e delicados cuidados, e ao mesmo tempo uma fúria devastadora e sagaz ao defender suas crias (!?).
Por mais que hoje seja considerado o dia desse ser, o que proporciona muitas homenagens, comemorações e resulta inclusive numa grande ação mercadológica, nós filhos somos incapazes de retribuir o que nos é dado gratuitamente. Talvez seja pelo fato de sermos animais que instintivamente, como os pássaros, se desvinculam do ninho na busca de seu próprio trajeto, na realização de seus ideais e de suas conquistas individuais.
Mas a MÃE, mesmo aceitando a sua condição, ao longe, mesmo de modo indireto, diariamente ela lança o seu pensamento ao além, e independente de sua crença, solicita aos deuses que seu filho(a) esteja protegido e preparado para todo o caos da condição humana. Ao ver o seu fruto, uma MÃE jamais enxergará somente o homem ou a mulher, mas sim aquele bebe que carregou no colo, que amamentou; recordará de seus primeiros passos; visualizará aquela criança indefesa; seu aprendizado; suas frustrações; saberá de seus medos, tudo isso numa fração de segundos.
Por isso, minha querida MÃE, gostaria de lhe reverenciar nesse dia por preencher o significado dessa palavra e dizer OBRIGADO e TE AMO, por talvez serem as únicas palavras, as únicas atitudes vindas de um filho que conforte o coração de uma MÃE.

Obs. Esta homenagem foi escrita no ano 2014, hoje vi sua beleza e resolvi publicar.


Postar um comentário